Dieta do poeta

Acordemos e bebamos vírgulas

Uma dieta balanceada

Necessita de metáforas

Com hiatos e ditongos, uma pitada de dígrafos

No almoço, um parágrafo bem gordo

Ao molho de uma suculenta crônica

Ao término do dia, exercícios e caminhada

Que te fazem suar reticências e pontos finais

No jantar, uma leve canja de poesia

Acompanhada de um doce soneto decassílabo

Antes de dormir, apreciemos

Uma fatia bem magra de redondilhas menores

Por fim, durmamos e sonhemos com musas

Que nos inspirarão no dia seguinte.

Luciano Marques.

Um comentário em “Apenas um poema.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s