O presente presente

Oh vida, sempre aqui presente!

O passado te quer dormente

Aflige a ti como a primeira prole de titãs

Tal qual Cronos que teme os filhos

E os come um a um com sopa quente

_________________________________

É assim que te sentes?

Enfia as lembranças más num saco

Amarra-o e aperta bem o nó

Atira-o no pântano, queima-o

Torna-o fuligem, carvão, pó!

__________________________________

Faça o que teu coração manda

Só não deixes o passado e sua semente

Como ramo daninho tornar-se planta

________________________________

Lembre-se de que a cada dia,

Numa eterna aliança

Recebes o presente,

Não o passado ausente

Aquele tu carregas na lembrança.

Luciano Aparecido Marques.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s