Uma ave.

Sob as nuvens carregadas

De orvalho almiscarado

Voa altiva criatura alada,

Imponente pássaro mascarado!

Será anjo ou querubim?

Difícil saber de fato!

Só sei que passa assim,

Rasgando o véu no espaço!

Ah se essa ave fosse minha!

Não como uma alma engaiolada,

Mas voando, como andorinha,

Voltando por livre arbítrio

A nosso ninho de cambraia.